Percurso

MAPA E ALTIMETRIA DO PERCURSO

.

PRINCIPAIS PONTOS DO PERCURSO

 

HIDROELÉTRICA DE XINGÓ

Entre Alagoas e Sergipe, no meio do Rio São Francisco, encontra-se uma gigante que traduz o espírito de cooperação entre o homem e a natureza. Esta é a Usina Hidrelétrica de Xingó, uma das maiores do Brasil, que além de ser grande produtora de energia e colaborar com a irrigação local, também é um grande ponto turístico da região.
A construção da barragem que pertence à usina hidrelétrica deu origem a um lindo canion, com uma enorme extensão navegável. O vale formado pelo canion possui 65 quilômetros de extensão, uma largura que varia de 50 a 300 metros através do seu comprimento e possui 170 metros de profundidade.
Mas não são apenas as dimensões que tornam esse lugar interessante. As rochas de granito avermelhado e cinza unidas às verdes águas, tornam o local uma ótima opção para passeios náuticos nos labirintos formados pela barragem, onde hoje habitam calmas águas navegáveis e uma paisagem deslumbrante.
Além da inconfundível beleza, a hidrelétrica de Xingó que é gerenciada pela Chesf abastece com energia elétrica uma grande parte do Nordeste, além de prestar-se ao desenvolvimento de projetos de irrigação e ao abastecimento de água para a cidade de Canindé/SE. Esse é um dos destinos ao longo do Velho Chico que merece receber uma visita!

.

OLHO D’ÁGUA DO CASADO

Até 1870 só existia na região a fazenda do agricultor Francisco Casado de Melo, onde hoje está a sede da prefeitura. Em 1877, a construção da rede ferroviária levou para lá o acampamento dos operários. O local, para os técnicos, não poderia ser melhor, porque em toda a região brotavam olhos d’água, facilitando o trabalho e a própria vida dos operários.
Depois que as obras da linha férrea e da estação terminaram, o acampamento foi transferido. Nessa época já existiam algumas casas e, para garantir o povoado, foi construída uma capela em homenagem a São José, padroeiro do lugar.Os pioneiros na formação da vila foram João Francisco Soares, Manoel Coleta de Mello, Antonio Pinto Bandeira e Antonio Matias.
Em 1965, o presidente Castelo Branco suspendeu o tráfego dos trens da Rede Ferroviária, causando um impacto muito grande à região. Nessa época, começou a ser construída a AL-225,concluída em 1974. Alguns anos depois a rodovia AL-220, que passou por Olho D’Água do Casado, mudou a rotina do povoado. O desenvolvimento já era grande porque havia comunicação entre as regiões.
Com a construção da Usina Hidrelétrica de Xingó, o município ganhou dois grandes atrativos: o belo Riacho do Talhado (recanto do rio São Francisco, próprio para um banho, a quase 80m de profundidade) e alguns sítios arqueológicos. Entre as festividades, destacam-se a festa do padroeiro, as festas juninas, a da Emancipação (21 de setembro) e a do Caju (novembro), todas sempre animadas.

.

.

.

O CANGAÇO

Piranhas é uma cidade no sertão de Alagoas, já na divisa com o estado de Sergipe. Foi desse pequeno povoado que partiu, em 1938, o grupo de policiais que matou Lampião, Maria Bonita e grande parte do seu temido bando.
Capturados e decapitados, os valentes cangaceiros tiveram suas cabeças expostas na praça da cidade e, depois, em outros 12 lugares. No último deles, o Rio de Janeiro, elas permaneceram até que foram enterradas, obedecendo a uma decisão judicial que atendeu ao pedido da família de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião.
No município sergipano de Poço Redondo, está a Grota do Angico, onde o Rei do Cangaço foi encontrado e morto. O percurso até lá pode ser feito de carro, porém é preciso caminhar por cerca de uma hora até chegar ao ponto exato onde os cangaceiros foram encontrados. A melhor opção, portanto, é pegar o catamarã que sai de Piranhas e faz a Rota do Cangaço.

.